Gravidez

Grávida pode comer inhame? – 10 beníficios para a gravidez



A comida que você ingere durante a gravidez é algo que necessita de ser bem analisado, sempre com a saúde do bebê em mente. Existem alguns alimentos que podem não ser bons para você e para o bebê. A pergunta que se coloca é, será que a grávida pode comer inhame? A resposta é que sim, pode, mas como em tudo existem vantagens e desvantagens.

Fique agora com os benefícios do inhame na gravidez e algumas das suas desvantagens.

Benefícios do inhame na gravidez

Cura a indisposição matinal

grávida pode comer inhame
As náuseas são bastante comuns na gravidez.

O inhame, assim como a manga, conseguem provocar um alívio da ânsia de vômito que surge numa fase inicial da gravidez. Este alimento possui uma boa quantidade de vitamina B6, que o ajudará com a indisposição matinal.

Previne baixo peso do recém-nascido

A vitamina B6 no inhame é útil mais uma vez, sendo que foi provado que esta previne que o recém-nascido venha com falta de peso.

Regula a pressão arterial

O inhame tem um elevado teor de potássio. Você precisa deste mineral para manter os níveis de pressão arterial sob controle.



A pressão arterial alta pode trazer graves problemas como a pre-eclâmpsia, uma doença que costuma aparecer a partir da 20ª semana de gestação.

Sendo assim, a grávida pode comer inhame e deve mesmo fazê-lo.

Leia ainda -   Grávida pode comer abacaxi? - Quais os benefícios e riscos

Rico em antioxidantes

Este alimento é rico em antioxidantes como betacaroteno e vitamina C. Eles vão ajudá-la a combater doenças comuns, prevenir o estresse oxidativo e protegê-lo de certos tipos de câncer.

Ajuda a digestão

grávida propícia a resfriado
Este tipo de problemas são mais comuns no inverno.

Mudanças hormonais, crescimento uterino, entre outros, podem fazer moça no seu sistema digestivo. O inhame possui amidos saudáveis, que são fáceis de digerir.



Previne a anemia

A grávida pode comer inhame na gravidez e deve fazê-lo para prevenir a anemia, visto que este é um problema comum durante esta fase. O inhame contém minerais como zinco, cobre e ferro, que jogam um papel importante no tratamento e prevenção da anemia.



Ácido fólico

Já deve ser do seu conhecimento que você precisa de ácido fólico durante a gravidez. Mas porque precisa dele? O ácido fólico pode proteger o seu bebê de problemas no tubo neural.

O inhame contém este ácido e a grávida não só pode comer inhame durante a gravidez, como deve fazê-lo.

Boa fonte de vitamina A

Você precisa desta vitamina para manter o sistema imunitário do seu bebê saudável e forte.

Previne o nascimento prematuro

grávida pode comer inhame para prevenir gravidez prematura
Os nascimentos prematuros aumentam de ano para ano.

A falta de ferro na dieta e no corpo da grávida é a principal causa do nascimento prematuro. Adicionar o inhame, rico em ferro, à sua dieta pode ajudá-la a prevenir o nascimento prematuro do seu bebê.

Fortalecer os ossos

Você precisa de ter os ossos fortes, especialmente durante a gravidez. O seu bebê está em fase de crescimento e também precisa de cálcio para construir seus ossos. Para isso, você precisa de uma dose saudável de cálcio, portanto, faz sentido você adicionar inhame à sua dieta.



 

Apostamos que nunca pensou que o inhame pudesse trazer tantos benefícios à sua gravidez. A grávida pode comer inhame, em casos normais, mas ele também pode trazer desvantagens que o podem tornar impeditivo para certas mulheres.

Leia ainda -   Como saber se estou grávida na primeira semana - Primeiros sintomas

Desvantagens do inhame

Pedras nos rins

Se sofre de pedras nos rins, fale com o seu médico antes de consumir inhame. Este vegetal tubérculo possui pequenas quantidades de oxalato que podem causar danos em seus rins.

Problemas digestivos

Se tem um sistema digestivo sensível, pense duas vezes antes de comer esta planta. Ela pode levar a problema como náuseas, vômitos, dores de cabeça ou diarreia.



 




O conteúdo deste website é completamente informativo e não deve ser considerado como um diagnóstico médico. Procure um profissional de saúde para saber seu diagnóstico e opções de tratamento.