Sangue

O que é a policromasia – Sintomas, causas e tratamento

Você sabe o que é a policromasia? O nome pode assustá-lo e como existe pouca informação na internet sobre este assunto, decidimos criar um artigo para tirar suas dúvidas.

A policromasia é um tipo de distúrbio que está diretamente relacionado com uma anormalidade na corrente sanguínea do paciente. Um paciente que esteja a sofrer deste problema tem um nível elevado de células sanguíneas imaturas.

Quando falamos em células sanguíneas imaturas, estamos-nos a referir a células que ainda não estão completamente desenvolvidas. O processo de desenvolvimento das células deve ser tratado pela medula óssea e quando esta começa a liberar células imaturas, os níveis destas no sangue tornam-se anormais.

A palavra poli significa muito, enquanto que cromasia significa cor. A policromasia é um tipo de condição em que os glóbulos vermelhos do nosso corpo começam a ficar com uma cor cinza ou azulada. Isto é descoberto examinando o sangue através de um microscópio.

Assim que os glóbulos vermelhos estão completamente desenvolvidos, eles são libertados para a corrente sanguínea pela medula óssea, mas com a policromasia, as células imaturas também são libertadas, causando anormalidades no sangue.
Devido à estimulação hormonal, o processo de liberação de células sanguíneas imaturas começa mais cedo. Existe sempre a possibilidade de existirem danos estruturais na medula óssea.

Sintomas da policromasia

Alguns dos sintomas mais comuns do policromasia são:

  • palpitações
  • falta de ar
  • problemas circulatórios
  • fatiga
  • fraqueza
  • cor pálida
  • astenia
  • tonturas

Causas da policromasia

É um facto que a policromasia ocorre devido ao mau funcionamento da medula óssea. Existe um número enorme de causas que podem danificar a medula óssea e uma das principais é a cicatrização, também conhecida por fibrose.

Outro aspecto pode ser a presença de um tumor na medula óssea. Na maioria das vezes, os médicos preferem examinar a presença de reticulócitos. Níveis elevados de reticulócitos podem indicar que existe uma existência de policromasia.

Anemia

A anemia normotíaca é o tipo mais comum. Este tipo de anemia é causado, normalmente, pela fraca produção de células sanguíneas, ou por hemólise.

A anemia pode ser causada por sobreprodução ou subprodução de glóbulos vermelhos, bem como a produção de células sanguíneas defeituosas. Como são necessários mais glóbulos vermelhos no corpo naquele momento, eles são liberados prematuramente. A liberação dos glóbulos vermelhos prematuros vai, eventualmente, levar à policromasia.

Reticulocitose

Existe uma ligeira correlação entre a condição falada neste artigo e a reticulocitose. É muito mais fácil testar a policromasia nas células do sangue do que realizar uma coloração especial para a reticulocitose.

Se a policromasia for encontrada nas células do sangue, a contagem de reticulócitos é tomada para detectar novas doenças ou estresse. Se uma baixa contagem de reticulócitos for encontrada, geralmente indica estresse da medula óssea. Se for encontrada uma alta contagem de reticulócitos, ela geralmente está ligada à hemólise, mas um teste de Coombs pode ser realizado neste caso para descartar a hemólise imunizada.

A policromasia também pode ser observada em esfregaços de sangue quando há uma contagem normal de reticulócitos. Isso pode ser causado pela infiltração da medula óssea devido a tumores, bem como fibrose, ou cicatrização, da medula.

Tratamentos

medicação para policromasia
Para descobrir os efeitos secundários de determinada medicação consulte o folheto da mesma.

É importante excluir a causa da policromasia antes de iniciar qualquer tratamento. Algumas possíveis abordagens de tratamento são:

  • Terapia de suplemento de ferro: na maioria dos casos, a deficiência de ferro é a principal causa de produção de glóbulos vermelhos imaturos ou de glóbulos vermelhos estruturalmente anormais. A terapia de ferro oral ou terapia de ferro intravenosa é benéfica para estes tipos de casos
  • Terapia esteroidal: em algumas doenças hemolíticas auto-imunes, a terapia esteroidal é efetiva porque exerce os seus efeitos anti-inflamatórios e imunossupressores. O esteroide só pode ser utilizado para o tratamento da doença, mas não para a sua cura.
  • Transfusão de sangue: Em condições de emergência, em que o médico não tem tempo suficiente para descartar a causa subjacente da policromasia, a transfusão de sangue é essencial para estabilizar o sistema circulatório e as funções fisiológicas.
O que é a policromasia – Sintomas, causas e tratamento
5 (100%) 1 voto
Drª. Larissa Carvalho

Drª. Larissa Carvalho

Drª. Larissa Carvalho, formada em Medicina pela Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública e especialista em Clínica Geral.

Criou o Saúde SOS para permitir um acesso simplificado a artigo na área da saúde e bem estar.

Comentar

Clique aqui para comentar

O conteúdo deste website é meramente informativo e não deve ser considerado como um diagnóstico médico presencial. Procure um profissional de saúde para saber seu diagnóstico e opções de tratamento.